Aprovado projeto que coloca Santa Teresa como pioneira da imigração italiana.


O município de Santa Teresa, na Região Serrana do Espírito Santo, está próximo de ser reconhecido oficialmente no calendário brasileiro como percursor da imigração italiana no Brasil. O reconhecimento foi possível a partir do projeto de lei 2619/2015, do deputado federal Sergio Vidigal (PDT-ES) que foi aprovado pelo Plenário do Senado, no último dia 12.

A matéria agora aguarda sanção presidencial. Após a lei ser sancionada, todo dia 26 de junho será para lembrar Santa Teresa como a capital brasileira da Imigração Italiana e sempre comemorar esse dia como a data da Imigração Italiana no Brasil.

“São inúmeras as contribuições italianas à cultura brasileira e, a partir disto, é importante reconhecer e valorizar o patrimônio deixado pelos imigrantes italianos no nosso país. Eu fico muito feliz porque esse é um reconhecimento que vai alavancar o turismo criando oportunidades de emprego e renda para os moradores da região de Santa Teresa”, comemorou o deputado.

 Além da forte cultura italiana na cidade, 40% do seu território é formado por Mata Atlântica e possui rica fauna e flora. Esse fato junto com o potencial histórico da cidade atraem milhares de turistas todos os anos. De acordo com dados do IBGE de 2017, a população estimada é de 24.025 pessoas.

História
A primeira expedição de italianos para o Espírito Santo foi batizada com o sobrenome do seu idealizador, Pietro Tabacchi. Segundo o sociólogo italiano  Renzo M. Grosselli, no livro “Colônias Imperiais na Terra do Café”, da Coleção Canaã do APEES, Tabacchi era um italiano oriundo de Trento que já se encontrava no Espírito Santo desde o início da década de 1850.

Em 17 de fevereiro de 1874, chegava ao porto de Vitoria o navio “La Sofia”, conduzindo 388 imigrantes italianos provenientes, em sua maior parte, da província de Trento. Eles foram contratados por Pietro Tabacchi, que possuía a fazenda “Monte das Palmas”, em Santa Cruz. Foi a primeira expedição em massa de camponeses da Itália para o Espírito Santo e daria início à epopeia emigratória dos italianos para o Brasil.

O nome da cidade tem duas possíveis origens ou até mesmo uma união das duas situações. Uma delas provém da fé de uma das colonizadoras que, aos pés de uma árvore conhecida na região por Pau-Peba, fixou uma imagem de Santa Teresa, trazida da Itália. Na sombra dessa árvore se reuniam os colonizadores para suas orações. A segunda dá-se pelo fato da Estrada de Santa Teresa, que ligava Vitória (ES) a Coité (MG), cortar o Núcleo Timbuy.

A data de fundação do município é 26 de junho de 1875 e sua emancipação aconteceu em 22 de fevereiro de 1891.

Fonte: Assessoria Sergio Vidigal